Klimt

25 de março de 2009

Práctica vs Prática

Continuo a escrever instintivamente esta palavra incorrectamente, mas corrijo de imediato. É um erro que me acompanha há anos, desde que uma professora mo corrijiu num teste e eu até duvidei, porque tinha a certeza que se escrevia com 'c' antes do 't'. Ela lá me explicou que estava errado, mas até hoje cometo o mesmo erro. E agora vai ser a primeira vez que a vou escrever sem me enganar. PRÁTICA. Muito bem.


P.S. - que post tão parvo...

11 comentários:

Anônimo disse...

não foi nada um post parvo, acontece-me o mesmo e até agora ainda não tinha sido corrigida. Hoje deparei-me com uma coisa da universidade q falava em "prática" e aí fiquei baralhada.. xD o post deu-me muito jeito, obrigada :D

Beerkiller disse...

Nada parvo o post.
Donde virá esta minha certeza quase absoluta de que prática se escreve com "c"???
Obrigado pelo esclarecimento.

PioNono disse...

Desta vocês vão gostar, estava eu a escrever o titulo do meu Blogg e me deparei com a mesma dúvida de sempre, Práctica ou Prática?,dai fui procurar no Google que me trouxe até aqui. Dúvida sanada. Porém, o meu erro tem uma justificativa que, de certa forma esclarece em parte o porque da vossa dúvida; é que sou Uruguaio e em Espanhol "prática" se escreve "práctica" dai minha eterna confusão. Em quanto a vocês, com certeza o motivo é a histórica e paralela convivência dos dois Idiomas. Acredito eu.
Gostei do post, e me ajudou muito, Obrigado! Um abraço!

Rui disse...

Obrigado eu tambem, nunca consigo saber tambem se uso o 'c' ou nao... obrigado

Adwords Publiweb disse...

Tudo bem! Mas prática; quando se tem habilidade em alguma coisa. Mas como fica "prática" na frase; "O rapaz prática esporte todos os dias", neste caso também vai o assento?

Anônimo disse...

A nossa língua é traiçoeira, mas no caso das letras mudas, até há uma regra bastante simples, que vai ficar em vigor durante o período de transição do novo acordo ortográfico: Os «c» e «p» mudos servem para abrir a vogal comparem: Contração e contracção. A 1ª vem do verbo contratar («a empresa contratou...») e a 2ª vem de contair(«a+a é uma contracção que resulta em "à"»). Óptimo já leva acento no ó, e por isso não presisa do p para nada... só que vem de «optimismo», e assim toda a família de palavras leva um p.
Conclusão: Para verificarmos se a palavra é escrita com uma vogal muda, devemos verificar a pronúncia do nome da família de palavras: Prática leva acento, mas não se escreve com c, mesmo quando pela pronúncia seria necessário, como em praticamente . Ah, e uma dica: as vogais i e u não podem ser abertas; logo: construção e construtora...

Anônimo disse...

em resposta a Adwords Publiweb: não leva «c» pelas razões que já expliquei, e além disso é sem acento, pois a sílaba tónica é «i» e não «a»...

Anônimo disse...

e ainda em resposta a Adwords Publiweb: não é acento mas sim acento... assento também existe, e é isto: http://www.tigraoderamos.com.br/produtos/imagens/1795_S_Assento%20Sanitário%20Mais.jpg

compositor disse...

Na realidade é práctica com a porcaria do AO de 1990 ficou prática, porém meus amigos a palavra deriva da etimologia do latim practicare, ou então mesmo pelo grego praktike o que leva sempre o c mudo. Por alguma razão a palavra em inglês é practice, em francês é practiser e em italiano practica.

Infelizmente esta é a realidade da língua Portuguesa.

Rui Melo disse...

Também tinha esta dúvida, por isso vim aqui parar. Mas uma coisa tenho a certeza, a palavra "corrijiu" escrita pela autora do blog está incorrecta!

Louco Bugs disse...

Muito bom! :)
Eu tenho (espero que agora seja "tinha") exactamente o mesmo problema!
E para mais agora com o novo acordo, ainda fica tudo mais confuso (para mim que faço questão de escrever no acordo antigo)

Mas agora com a mensagem do Compositor ... fiquei sem saber o que fazer!
Será melhor seguir os instintos e escrever com C .... ou é sem C?
E, já agora,perdeu o C mas pelo que entendi, não foi nesta ultima mudança de acordo .... certo? (sou de 88.. já me devem ter ensinado Prática, sem C... certo?

"Quanto mais claro/ Vejo em mim, mais escuro é o que vejo./ Quanto mais compreendo/ Menos me sinto compreendido./ Ó horror paradoxal deste pensar... " Fernando Pessoa